Léo Bakargy Morais
Contato
Léo Bakargy Morais

Projetos

Prosotign

Protosign

O Projeto Protosign nasceu da dificuldade das empresas de TI em implementarem técnicas de Design de Interface, Arquitetura de Informação, Usabilidade e Experiência do Usuário nas rotinas de desenvolvimento das suas equipes.

Muitas vezes é difícil integrar um time de designers nos processos de desenvolvimento de software, porque muitas técnicas que usamos ainda são novidade, e trazem mudanças estruturais na maneira de trabalhar. Para evitar atrasos, o processo de design acaba sendo deixado de lado.

O resultado disso é um software extremamente rico em funcionalidades e capacidade de atender às demandas de negócio do cliente, mas nem sempre agradável ao usuário, que precisa de quilos de manuais e meses de treinamento para aprenderem a realizar as rotinas do sistema.

Se você já viveu esta experiência, sabe do que eu estou falando.

Quer saber como resolvemos estes problemas?

Omoondo

Omoondo

Vários amigos já me reclamaram da dificuldade que é encontrar um barzinho com uma musica legal, ou uma balada pra ir numa terça-feira à noite, ou quando não se planejou nada com antecedência.

Também não foram poucas as vezes que amigos procuraram uma palestra, ou um curso de final de semana, ou um seminário, e simplesmente não encontraram informações, seja porque a faculdade esqueceu de os copiar nas malas diretas, ou os emails foram parar no lixo eletrônico, ou seja porque a divulgação do evento não foi boa mesmo.

Aí você tem que ficar navegando entre todos os sites da sua cidade, todos os sites de universidades, realizando uma busca infindável pelas sessões de cultura e ciência, e acaba descobrindo que aquele evento super interessante, foi na semana passada! Chato, não?

Não seria legal ter todas essas informações atualizadas sempre na sua mão?

Como assim um "robô"?

Que tipo de informação o Omoondo vai rastrear pra mim?

GiroCG

GiroCG

Há que se admitir que a leitura anda sendo deixada um pouco de lado. Muitos são os fatores. Mas se estamos cada dia mais tempo conectados à internet, porquê este abandono da leitura?

Ficar navegando entre quatro, cinco, dez sites diferentes, é um tanto cansativo... E uma vez que entramos no site, temos que ficar filtrando o conteúdo, procurando as categorias que se quer ler.

Por isto foi criado um robô que faz uma busca em diversos sites e entrega de maneira rápida, prática e simples, os assuntos de sua preferência, em uma interface fácil e agradável de ler. Sem poluição publicitária e direto ao ponto.

Em quais sites este robô busca informações?

Como ele sabe quais assuntos eu desejo ler?

E se meu site preferido não estiver no mecanismo de busca do robô?

Facebook Apps

Facebook Apps

As redes sociais estão cada vez mais presentes nas vidas das pessoas, e estão alcançando cada vez mais pessoas. É incomum uma pessoa que não participe de pelo menos uma rede social.

O velho jeito de fazer internet está mudando por causa disso! Hoje as lojas, as empresas e prestadores de serviços estão muito mais ativos nas mídias sociais, do que eram há alguns anos atrás. Mas será que ter uma página no Facebook é suficiente para fazer a diferença, chamar atenção e estar presente na vida dos clientes?

Este projeto quer experimentar uma nova forma de fazer presença na vida das pessoas: são aplicativos desenhados especialmente para a sua empresa, com uma dinâmica que vai trazer lucro efetivo para o seu negócio!

Como são esses aplicativos?

Como estes aplicativos vão atrair lucro para o meu negócio?

Qual ROI (Return on investment) eu devo esperar?

Blog LéoBM

Blog LéoBM

Trabalhar com Arquitetura de Informação, UX Design, Usabilidade, Navegabilidade, User Interface e Web Design não é uma tarefa das mais simples. É uma área relativamente nova, ainda que o termo "User Experience" tenha surgido pela primeira vem no início dos anos 1990. Don Norman - que falou o termo pela primeira vez - tira as atenções do negócio, da máquina, da "coisa", e volta todos os seus esforços para a pessoa, o usuário.

Daquele tempo pra cá, as coisas mudaram muito! Os computadores deixaram de ser máquinas complexas, e passaram a ser objetos simples e acessíveis a quase todo o mundo.

Agora a máquina já evoluiu ao ponto de estabilidade no quesito qualidade do dado. Qual o próximo desafio? Qualidade no acesso ao dado!

Arquiterura de Informação e User Experience Design são o novo desafio, e é sobre este desafio que eu trato no blog.

Quer saber quais benefícios a Arquitetura de Informação trás para os sistemas?

É difícil desenvolver sistemas com uma boa User Experience?

O que eu preciso saber pra começar a trabalhar como UX Designer?

Virtual Innovation Hub

Virtual Innovation Hub

Você já deve ter ouvido um colega te falar "cara, tive uma ideia legal de negócio". E você também já deve ter ouvido a frase "pena que não tenho dinheiro", logo em seguida!

Ideias vem à toda hora, em qualquer lugar, e todas as pessoas tem criatividade suficiente para entender um problema, e pensar em uma solução. Se você observar um problema, com a intenção de resolvê-lo, com certeza você terá várias ideias!

Mas poucas ideias saem do papel. Seja por motivo de indisponibilidade de investimento, seja por receio de "perder a ideia para outro, e não ficar milhonário da noite para o dia", ou por qualquer outro motivo.

Este projeto quer tirar ideias do papel.

Como tirar ideias do papel?

Quem participa deste projeto?

Eu tenho uma ideia!

Pesquisas

Pesquisas

Antes de desenvolver qualquer projeto, é preciso saber de fato se a sociedade precisa daquela solução, e isto é feito através de pesquisas de mercado.

No entanto, se você não tiver tempo ou disposição para aplicar as pesquisas, você pode alugar um terminal de autoatendimento, equipado com toda a estrutura necessária e disponibilizar para o seu público em um local desejado.

Por exemplo: você quer saber se os visitantes do Shopping Campo Grande gostariam de comprar guarda-chuvas. Coloque o terminal com a sua pesquisa em um ponto estratégico do shopping e deixe que seus clientes a respondam espontaneamente!

Eu posso colocar em qualquer lugar?

Eu quero aumentar minhas vendas, mas não sei fazer pesquisas.

Como é este terminal?

Temas Wordpress

Temas Wordpress

O Wordpress é a plataforma de blog mais popular existente. Nele é possível separar o conteúdo do seu site, da aparência dele. Isto permite trocar todo o layout do seu site, sem perder nenhuma informação!

Estas "capas", "máscaras", são conhecidas como "temas".

É possível comprar temas prontos e aplicar no seu site, deixando ele completamente diferente, com uma cara toda nova, sem esforço algum. Você mesmo faz isso!

Neste projeto, você encontra alguns temas prontos, que te ajudam a construir seu site de forma rápida e fácil, sem dores de cabeça.

Ver temas

Plugins Wordpress

Plugins Wordpress

A plataforma Wordpress permite criar uma série de funcionalidades e adicioná-las em separado, como se fosse uma cozinha modular!

Se seu site está na plataforma Wordpress, e você precisa de um módulo de controle de vendas, por exemplo, é possível desenvolver este módulo e "instalar" no seu site. Você não precisa comprar um "sistema", nem encomendar o desenvolvimento.

Aqui você encontra alguns plugins, mas pode encomendar um específico para seua empresa.

Ver plugins

Léo Bakargy Morais

Áreas de Atuação

Comunicação

Comunicação

"Ação de transmitir uma mensagem e, eventualmente, receber outra mensagem como resposta." - Google

Comunicação é a base da sociedade. Até mesmo os animais se comunicam. O bebê, assim que nasce, já se comunica com a mãe, através do choro. E toda comunicação, leva uma mensagem. No caso do bebê, a mensagem - eu suponho - é: "Ah, não! Estava tão gostosinho lá dentro! Alguém me devolve pra lá, por favor!" Rsrsrs...

Ou seja, a comunicação é composta por uma mensagem que se quer transmitir, um emissor, que é quem deseja enviar a mensagem, e um receptor, que é o alvo da mensagem. Esta é a forma mais básica de comunicação. Sem qualquer um destes três pontos-chave, não existe comunicação. Mas ainda há dois outros fatores muito importantes: o meio e a linguagem. O meio é o ambiente que liga o emissor ao receptor, é a "cola" entre os dois.

Todos os artifícios que possam ser usados para unir o emissor e o receptor podem ser chamados de meio, e a forma pode ser chamada de linguagem. Parece que está começando a ficar complicado, né? Mas é mais simples do que parece:

O emissor tem uma informação que deseja passar para um receptor. Ele vai usar um meio e uma linguagem para realizar a tarefa:

O Léo (emissor), pega o telefone (meio) e liga para seu amigo (receptor) para falar (linguagem) que seu novo site está no ar (mensagem).

Legal, entendi! Tem outros exemplos?

O que seriam outros meios, e linguagens?

Um segredo que ninguém sabe...

Computação

Computação

"Operação matemática ou lógica realizada por regras práticas preestabelecidas." - Google

Com a revolução industrial, algumas coisas mudaram. O trabalho que antes era artesanal e solitário, passou a ser coletivo e encadeado. O artesão que fazia todo o trabalho desde cortar a árvore no campo, tratar a madeira, fabricar os pregos e depois construir uma cadeira, passou a fazer parte de uma rede de artesãos onde cada um realiza um trabalho exclusivo dentro de todos os trabalhos que envolvem construir uma cadeira.

Algumas destas etapas podem ser realizadas por máquinas. Cortar a árvore, no primeiro momento, ainda era realizado por uma pessoa, mas retaliar a árvore em várias peças de madeira, passou a ser trabalho de uma máquina, que realiza esta tarefa de forma mais rápida e mais precisa. A próxima etapa, de montar a cadeira, volta a ser realizada por uma pessoa.

Este é o cenário onde começou a nascer a computação.

Esta máquina de transformar árvores em tábuas agora sabe que tipo de árvore foi colocada para o corte, quantos anos esta árvore tem, qual o melhor uso para este tipo de madeira, que tamanho as tábuas podem ter, quais os formatos de corte, tudo isso sem precisar de uma pessoa para estabelecer estes parâmetros. Isto porque esta máquina faz cálculos matemáticos e resolve sozinha, por meio da computação todas estas questões.

Deste cenário primário até as questões mais modernas das sociedades, o que muda é o volume de dados, e a utilidade destes dados, mas a computação é basicamente a mesma: máquinas realizando cálculos para transformar matéria prima em produtos de forma automatizada e independente.

Mas e os computadores?

Na internet não existem árvores para cortar... Quais são as matérias primas neste caso?

Como as máquinas aprenderam a fazer cálculos?

Arquitetura de Informação

Arquitetura de Informação

"É a arte de expressar um modelo ou conceito de informação utilizados em atividades que exigem detalhes explícitos de sistemas complexos." - Google

Um dos motivos pelos quais todos os animais evoluem, desde as formiguinhas, até nós, seres humanos, passando por girafas e hipopótamos, é a capacidade de identificar padrões.

Doideira? Veja só: a formiga sabe o melhor terreno para fazer o formigueiro, porque ela identifica que tem bastante alimento próximo e que o solo é macio o suficiente para ela fazer os buraquinhos (e olha que tem formiga que faz buraco até em parede!), por exemplo. Existem dois padrões aí, já!

Nós humanos também reconhecemos padrões em várias coisas. Sabemos se estamos no verão ou no inverno, por exemplo, porque o sol muda de posição (a Terra que gira, mas a gente percebe baseado na posição do sol nascente), o clima sofre alteração na temperatura, as chuvas aumentam ou diminuem. Tudo isso são padrões. Tudo isso permite que a gente se prepare para enfrentar as dificuldades de cada nova estação, a cada ano (ou deveria).

Arquitetura de Informação é, basicamente, encontrar os padrões que existem entre emissores, mensagens e receptores (leia no quadro "Comunicação", ao lado).

Uma vez identificados estes padrões, com algumas ferramentas próprias da Arquitetura de Informação, é possível estabelecer estratégias que melhorem a transmissão das mensagens entre os interlocutores.

Todas as mensagens são identificadas, catalogadas e organizadas de modo a tornar o acesso à elas mais rápido, fácil e prático.

Quando surgiu a Artuitetura de Informação?

Quais são as técnicas?

Onde a Arquitetura de Informação é aplicada?

Léo Bakargy Morais

Currículo

Formação

Formação

Pós Graduando em Gestão de Projetos

Universidade Católica Dom Bosco
2016-2018

Gestor Corporativo

PRO-FISSA LAB – Escola de Educação Corporativa
2016-2017

Bacharel em Comunicação Social - Rádio e TV

Universidade Católica Dom Bosco
2003-2007

Skills

Skills

Experiência Profissional

Experiência Profissional

Arquiteto de Informação

MilTec Tecnologia da Informação
2016 - 2017

Analista de Sistemas

SEFAZ/MS SGI - Superintendência de Gestão da Informação
2013 - 2016

Editor de Imagens

UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
2010 - 2012

Siga LéoBM

Desenvolvido por LéoBM - Todos os direitos liberados, pode copiar a vontade.